quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

O eterno mexilhão

Tem-se falado muito nas redes sociais de um estudo divulgado primeiro pelo Correio da Manhã e depois pela TV que responde à questão:

Como o estudo vem de Bruxelas, feito pela Comissão Europeia, não há cá partidarite e acusações de que a culpa é deste menino ou do outro - ando um pouco cansada de ouvir que o mal é «do governo anterior», cassete que serve sempre porque existiu sempre um «anterior». Bom, parece-me que o que importa é ver o que se passa de facto, para além das culpas responsabilidades, e encontrar uma resposta.
Fazendo «o ponto da situação» o certo é que a Comissão Europeia afirma que um estudo feito em Portugal, Grécia, Espanha, Irlanda, Estónia e Reino Unido conclui que Portugal é o único país analisado em que "a percentagem do corte [devido às medidas de austeridade] é maior nos dois escalões mais pobres da sociedade do que nos restantes".
Isto não pode ser.
É inaceitável.
Dizem ali que a «Alemanha apoia cortes violentos em Espanha» ou seja pretende continuar a técnica agressiva e violenta contra certos países.
Mas por outro lado, li há poucos dias que esta mesma Alemanha (e a França), estavam a começar a sentir a perda das mercados que davam como garantidos, os destes países do sul da Europa. Não pode haver sol da eira e água no nabal... A quem vão vender os seus produtos, estes senhores do bloco central europeu? Decerto que não em África, com a miséria que por lá vai [não falo dos africanos super-ricos que esses naturalmente são muito poucos] Também não à Ásia, que produz muito e barato. Duvido que à América... Ou seja se, apertando tanto a tarraxa, bloquearem o consumo dos possíveis compradores europeus, a quem vão vender...?
Interessante, não é?
O mar não pode bater com demasiada força na rocha, porque o mexilhão faz falta.


Pé-de-Cereja

7 comentários:

Joaninha disse...

Olha amiga, isto nem merece que se diga nada. como aqui dizes nem sequer somos nós a dizer, esta avaliação é «neutra». E, obviamente, que se está a compara politicas-de-austeridade, ou seja países que também têm de cortar nalgumas coisas...

pé-de-cereja disse...

É isso que incomoda, Joaninha.
Quero dizer, isso e o resto!
Mas quando dizem que «tem de ser» prova-se que há outras formas do o fazer.

sem-nick disse...

Uma vergonha!
É uma verdadeira vergonha na minha opinião. O «Povo é Sereno» demais!!!!

Saltapocinhas disse...

vergonhoso e injusto...

pé-de-cereja disse...

Profundamente injusto, amiga! E revoltante.

Mary disse...

Ontem não passei por cá e não tinha visto o post.
Isto foi dito na tv portanto muita gente ouviu.
E deve ter ficado a pensar. Espero eu, que sim!

pé-de-cereja disse...

Olá Mary! Entramos quase ao mesmo tempo.
Tens razão, quando uma coisa aparece na televisão tem mais impacto.
Oxalá se fique a pensar.