quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

«Faça o mal quem o fizer quem tem culpa é a minha mulher»

«Faça o mal quem o fizer quem tem culpa é a minha mulher» era uma expressão (provérbio?) que se dizia quando eu era pequena, há muito tempo já que a não oiço.
Ora bem, o Seguro morreu de velho, mas as nossas Seguradoras devem morrer de obesidade.
Claro está que têm de pagar alguns prejuízos de vez em quando, mas todos sabemos que os segurados quando têm o atrevimento de reclamar a indemnização de um dano para o qual pagaram prémios que nunca são muito leves, vêm tão agravado o seu seguro que muitas vezes preferem pagar o prejuízo e não comunicar à Seguradora...
Ora bem. Parece que as estatísticas dizem que as mulheres «têm seis vezes menos acidentes que os homens». Isso dizem as estatísticas, não são as descaradas das feministas. E, com base nisso, como o risco é menor muitas seguradoras cobram prémios mais pequenos. É a mesma lógica que faz que os jovens paguem prémios mais altos mas não sei se a «descriminação em função da idade» também vai desaparecer. Devia ser, não?
Fiquei aborrecida quando li, é claro. Eu não sou jovem e sou mulher - para além de não ter acidentes há séculos!!! - portanto sou ‘bonificada’. Espero bem que não me retirem o bónus por não ter acidentes...
Mas o que me levou a escrever este post foram os «comentários» que encontrei no final deste artigo. Impressionante. É evidente que cada pessoa generaliza a partir daquilo que conhece e vê. E é quase um lugar comum a convicção de que as mulheres conduzem pior do que os homens. Até há umas dezenas de anos isso talvez acontecesse sobretudo porque conduziam menos e assim tinham muito menos prática e no caso da condução o treino e a prática são factores importantes. Mas, sinceramente, hoje em dia que há tantas mulheres ao volante como homens parece-me que conduzem tão bem ou tão mal uns como os outros.
Contudo, o que as estatísticas dizem, ou diziam, é que as condutoras têm menos acidentes. E isso é que está em causa. Guiem mal ou bem, eles têm muito mais acidentes e pronto. Nos comentários que me chocaram, para além da ideia feita de que as mulheres têm piores reflexos (ai é?!) com tudo o que isso implica, ressalta a convicção de que não têm acidentes... mas os provocam. Uma praga!
É interessante. As mulheres (generalizando, o que detesto, mas é o que dizem lá) são
a) mais cautelosas a entrar num cruzamento, - lá dizem ‘lentas’ o que é visão depreciativa do mesmo facto
b) travam ao ver um obstáculo, e pelos vistos isso é mau porque o homem que vem atrás e se gaba de ter tão bons reflexos, não consegue travar também e vai-lhe bater
c) são indecisas na condução e isso baralha os outros condutores
Ou seja, o que lá afirmam é que a má condução feminina vai fazer com que os bons condutores masculinos tenham acidentes. A culpa afinal é delas! Se «eles» têm mais acidentes não tem nada a ver com conduzirem com excesso de álcool, serem mais imprevidentes, acelerarem em excesso, não cumprirem o código. Não senhor, afinal a culpa disso é porque «elas» têm maus reflexos e são lentas.
Dá que pensar, não é?

Pé-de-Cereja

11 comentários:

Joaninha disse...

É mesmo assim!
Há estereotipos que não desaparecem. Por acaso estranho que ainda haja essa diferença em acidentes porque me parece que o desrespeito pelas regras do trânsito é muito semelhante. Vejo tanto disparate de um lado como do outro...
Mas essa dos reflexos dá vontade de rir (ou de chorar).

Anónimo disse...

eheheheheheh!!!
Ficaste assanhada, mas olha que é para rir! E afinal, para a mulher que viva em família, o 'homem' também vai pagar mais.
......
A frase também há imenso tempo que não a ouvia, e tenho a ideia que não era exactamente assim mas o sentido era esse mesmo. Dá muito jeito ter uma mulher à mão para culpabilizar, né?

pé-de-cereja disse...

Mas que coisa mais misteriosa! Deixei aqui ontem um comentário/resposta ao King e Joaninha, vi-o, e agora não está cá!!!
Será que cliquei apenas no 'pré-visualizar'????
(e agora já não sei repetir aquilo que disse, vou ter de improvisar; terá sido uma questão de reflexos lentos?... eheheh)

pé-de-cereja disse...

Ora bem, amigo Rei, a verdade a brincar a brincar sempre a disseste «dá jeito ter a mulher ali para a culpabilizar» grrrr! Aliás a frase é esse reconhecimento. Mas continuo a achar que e gene da boa ou má condução não tem a ver com o XX ou o XY.
.............
Joaninha, essa dos reflexos foi a que mais me encanitou! Acho que os tenho excelentes e as minhas amigas também!!!!!!!!

Anónimo disse...

tinha estranhado não teres dito nada sobre os nossos comentários. afinal foi birra do blogger :D

Zorro disse...

De acordo com o post aqui em baixo, a verdade é que criamos hábitos e desábitos (belo neologismo, não?) e a volta aqui pelo teu blog é um desses.
Quando estás um tempo sem escrever, perdemos o costume de passar por aqui mas é uma pena. Sorry, vou ver se me volto a acostumar!
.........
Claro que fui espreitar os comentários mas nem seria preciso. Na esmagadora maioria dos casos é lamentável mas os comentários dos jornais on-line são do mais conservador e reaccionário que se pode imaginar. e, falam de alto sobre assuntos que ignoram completamente.
Nunca os leio!!!!

Zorro disse...

Ups! tenho de esclarecer: NUNCA os leio agora. para ter esta opinião é porque os li anteriormente, ou parecia um totó!

pé-de-cereja disse...

Voltando aqui e como justificação do tom irritado do post, eu sei que não posso generalizar, mas é natural que me sinta atingida.
OK, talvez seja de acabar com a benesse do «género» mas então aumentem a faixa de quem não tem acidentes. Eu conduzo há dezenas de anos e tive ao todo 3 ou 4 acidentes - aliás devo fazer parte dos que «OS» irritam por travarmos e «ELES» baterem por detrás. Mas, que querem? tenho mesmo bons reflexos, caramba!
Uma vez, travei numa passagem de peões porque estavam peões a passar. Apanhei com um tipo a bater por detrás, e que se queixou «mas porque é que não contornou os peões»?!
Vejam só! a ideias era contornar os peões e mais nada. E eu devia ser uma totó porque... (imagine-se!) parei. E tenho outras do tipo.
E a 'culpa' é de quem tem cautela!!!

sem-nick disse...

(Cá vem mais um que tem falta... e injustificada; sorry) :(

Pois, os comentários dos jornais, eheheh! Ainda há pouco li um muito indignado «[.....] este país tem de virar 360 graus»!
É isso. Vai virando de vez em quando esses 360 graus. Por isso a gente diz que só as moscas mudam.

if disse...

Os clichés de antigamente já só sobrevivem por graça ou por pirraça. Também acho que o treino e a prática são os factores importantes e determinantes numa boa condução.
Na rotunda ali em frente um super-camião carregado de pesadíssimos materiais de construção segue com segurança e ligeireza estonteante, conduzido por uma mulher jovem, formosa e bem segura.

Lenta? aquela?! Haviam de ter visto!!!
O tempo mudou tudo o que julgámos sobre as capacidades masculinas ou femininas.
Mulheres e homens, marinheiros do mesmo barco da vida à deriva.Iguais

pé-de-cereja disse...

É isso mesmo, IF. Já vemos muitas mulheres motoristas de táxis onde também é preciso muita agilidade de reflexos. E, também encontro homens condutores-de-domingo com todas as características e mais algumas que estes comentários atribuem às mulheres...
Isto sem querer inverter a situação e dizer que nós somos melhores. Nem piores nem melhores, há de tudo. E com o passar dos anos até diferenças que pareciam verdadeiras se vão esbatendo.
(Obrigada pela visita)